“Tinha começado a chover, e todos os outros fotógrafos começaram a gritar: “Guarda o guarda-chuva! Tira esse cara daí!’, porque tudo isso pode arruinar uma foto. Mas para mim, fez a foto ficar ainda melhor.”

— O fotógrafo da Getty Images Gareth Cattermole fala sobre a fotografia que fez da atriz Reese Witherspoon na chuva

Morando em Londres, o fotógrafo na área de entretenimento Gareth Cattermole é funcionário da Getty Images, e já está na empresa há mais de 12 anos. Especialista em moda e retratos, Gareth tem uma vasta experiência nos campos de entretenimento e moda, trabalhando nos maiores eventos destes setores durante sua carreira, incluindo a Semana da Moda de Londres pelos últimos 13 anos. Gareth já fez coberturas das Semanas da Moda de Paris, Berlim e Nova Iorque. Ele participou também de Festivais de Filmes em Cannes, Roma, Veneza, Dubai e Londres. Trabalhou extensivamente com as premiações da MTV Awards, Brits Awards e com a Academia Britânica de Artes do Cinema e Televisão (da sigla em inglês BAFTAs).

Gareth apresentou e desenvolveu a coleção de imagens da “visão alternativa” da Getty Images, na qual ele aborda uma sessão fotográfica a partir de um ângulo criativo e usa técnicas de pós-produção para criar um visual impressionante que dá uma percepção diferente a um evento.

 

Como você começou a sua carreira como fotógrafo?
Eu nunca fui estudioso, mas sempre amei Arte e estar ao ar livre. Ficar sentado para tentar aprender algo é uma coisa que eu nunca consegui fazer, e eu me tornei extremamente frustrado em todas as minhas aulas, com exceção das minhas aulas de Artes, onde um professor me apresentou para a fotografia.

Eu fiz um curso de Negócios e Tecnologia na Faculdade de West Herts em Watford, na Inglaterra. No meu último ano enquanto eu estava fazendo compras com os meus pais, o meu pai pegou uma cópia daBritish Journal of Photography e ele viu um anúncio para fotógrafos de celebridades para a‘Big Pictures’. Eu não era muito fã dessa ideia pois não sou muito ligado em celebridades, mas meus pais disseram: “Às vezes você tem que fazer o que você não sente vontade para chegar onde você tanto almeja.” E então eu fui para uma entrevista. Eu era super novo e não tinha nenhuma experiência, mas eles me ligaram imediatamente e me ofereceram a vaga. Eu sempre serei grato por terem me dado esta oportunidade. E tudo o que eu queria fazer era tirar fotos o dia todo.

Eu trabalhei com eles por aproximadamente três anos, viajei bastante e aprendi muito como paparazzi, e em momento algum eu tive vergonha disso. Saí de lá em 2002 e comecei a trabalhar na Getty Images depois que eles me abordaram e estou aqui desde então.

Você teve algum mentor no começo da sua carreira e o que ele te ensinou?
Eu tive alguns mentores durante todo o período da minha carreira, mas os mais importantes foram MJ Kim e Andy Zakeli, ambos são fotógrafos extraordinários. Andy e eu trabalhamos juntos na Big Pictures, ele me ensinou muito sobre como lidar com as frustrações do trabalho e como tornar desvantagens em vantagens e no final, fazer as coisas darem certo para você. Ele tem me dado apoio incondicional durante toda a minha carreira e ele é sem dúvida um dos melhores fotógrafos da Austrália.

MJ Kim foi meu fotógrafo sênior na Getty Images e foi quem me ensinou quase tudo que sei hoje. De luz até aspectos técnicos de como lidar com clientes. Quando ele entrou na Getty, ele me colocou debaixo de suas asas; nós trabalhamos e viajamos para todos os lugares juntos. Ele me ensinou a importância de ser um bom fotógrafo.

E o mais importante, meus pais sempre estiveram do meu lado, me apoiando e apoiando as minhas decisões. O começo da minha carreira foi muito difícil, e tem épocas que ainda as coisas não são tão fáceis. Contudo, meus pais sempre estiveram do meu lado e eu com certeza, não estaria aqui hoje se não fosse por estas pessoas na minha vida.

Quais lições importantes você aprendeu no início da sua carreira?
Eu comecei como um paparazzi, então todas as minhas lições iniciais são adaptações daquele tipo de trabalho. Tirar as fotos não era a parte mais difícil. A parte mais difícil foi aprender quais posições eu deveria ficar para tirar boas fotos, e isso eu tive que aprender rápido. Você também aprende que não pode ser visto, e isso permite que você tire as fotos mais marcantes. Eu nunca tive vergonha de como iniciei a minha carreira porque eu ainda uso tudo que aprendi hoje em dia no meu trabalho. Enquanto eu fotografava os bastidores, eu tentava me misturar ao meio do público para não ser visto e para assim criar uma sensação mais natural das fotos.

Eu também aprendi que o conselho dos meus pais estava certíssimo, e que às vezes temos que fazer coisas que não queremos para chegar onde tanto almejamos. Eu não cresci querendo ser um paparazzi, porém foi como eu pude entrar no setor e eu abracei a minha chance. Hoje em dia, com as câmeras digitais e redes sociais, literalmente qualquer pessoa pode ser um fotógrafo. No meu caso, eu tinha que carregar comigo meu portfólio com imagens impressas para procurar emprego. E simplesmente aconteceu que eu consegui um emprego após minha primeira entrevista.

Outra coisa, não tente correr antes que você aprenda a engatinhar; seja paciente e use o tempo que for necessário para aprender com outras pessoas que são mais experientes que você. Respeito também é importante, tanto quanto a sua capacidade de ser humilde.

Quais conselhos você recebeu no início da sua carreira que você carrega com você até hoje?
O conselho mais importante que recebi foi do MJ Kim. Ele me disse que o que o mais importante era me tornar um profissional competente. Ser competente e saber lidar com outras pessoas é 70% do trabalho, a fotografia em si completa os outros 30%. Você pode ser o melhor fotógrafo do mundo, mas se você não consegue se dar bem com as pessoas ou não é capaz de conseguir chegar aos bastidores de um show de moda quando um gerente está dificultando a sua vida, aí você não vai conseguir mostrar o seu trabalho. Você tem que ser legal com as pessoas, ter bons relacionamentos profissionais, e entender que grandes fotógrafos não podem ser definidos apenas por suas fotos, e sim pelas pessoas que eles conhecem para poder dar o acesso que ele precisa para tirar as melhores fotos.

Você acredita que ainda está aprendendo algo neste estágio da sua carreira?
Eu aprendo algo todos os dias; O MJ sempre me disse que fotógrafos nunca param de aprender e que para ter sucesso em sua carreira, você nunca pode parar de aprender.

Temos que aprender novas técnicas e processos para aprimorar nossos conhecimentos e nosso trabalho. Eu ainda tenho alguns mentores, especialmente dentro da Getty Images e todos eles me ajudam de maneiras diferentes.

O MJ ainda é o meu maior mentor; E eu sempre peço conselhos a ele. Ele agora mora em Los Angeles, na Califórnia, mas nós conversamos frequentemente. Eu também acho que a Internet é uma fonte de informação fantástica, eu gosto de aprender através de vídeos do YouTube e leio blogs sobre técnicas ou novos equipamentos, ou assisto documentários antigos e entrevistas com fotógrafos para encontrar novas inspirações.


 

Veja as últimas novidades de Gareth Cattermolena Getty Images

 

Para mais informações, acesse: garethcattermole.com