Todo visual que vemos – o que encontramos em nossos feeds de mídia social, os artigos que folheamos, os anúncios que vemos – constroem nossa compreensão do mundo ao nosso redor. Mas é possível prever os tipos de imagem que o mundo nos mostrará o ano que vem?

Sim.

Todo ano, a equipe criativa global de diretores de arte, pesquisadores e antropólogos visuais da Getty Images, analisam dados de pesquisas e downloads de milhões de imagens licenciadas do site gettyimages.com e estuda os eventos significativos da mídia, cultura pop, propaganda e arte. Depois, eles apresentam uma previsão das tendências visuais que definem precisamente os tipos de imagem que podemos esperar ver à medida que o futuro se desenrolar.

Suas conclusões podem surpreendê-lo.

As previsões dos anos anteriores apareceram em toda parte, de campanhas premiadas a galerias em todo o mundo. Por exemplo, a tendência definida pela tecnologia de 2016 daExtended Human se mostrou de muitas maneiras, inclusive em um dos mais empolgantes eventos de moda – a mostra e a noite de gala do Art’s Costume Institute do Metropolitan Museum, cujo tema este ano foi  Manus X Machina: A Moda na Era da Tecnologia. A tendência Messthetics de 2016 foi bem representada tanto na campanha Liquid da Nike quanto na recente campanha supercolorida MacBook Pro spots da Apple. Enquanto isso, Genderblend, uma tendência que previmos em 2014, continuou a evoluir este ano com o anúncio do primeiro cover boy da CoverGirl.

O que estamos prevendo para 2017?

Aqui estão seis tendências que esperamos:

  1. Virtuality – as origens desta tendência estão na mídia social imersiva. O Instagram ilustrou nossa fome voraz por conteúdo instantâneo na primeira pessoa. O sucesso retumbante do Snapchat e do Instagram Stories levou isso adiante. Bruto, impulsivo e principalmente não ensaiado, parece que o filtro foi removido, o que garante uma troca incrivelmente autêntica que nos permite experimentar a vida colocando-nos no lugar da outra pessoa. A tendência Virtuality expande esta estética. Em vez de olharmos uma imagem, agora nós somos a imagem. Não estamos vendo, mas experimentando.

     

    1. Color Surge – depois de um período de popularidade dos tons pastéis e dos filtros vintage, os tons ousados estão de volta. Seja de um só tom, estranhas ou lindamente complementares, prepare-se para ver um aumento das combinações de cores únicas e dinâmicas. A tendência Explosão de Cores realça a capacidades dos criadores de imagem se libertarem das paletas de cores convencionais e das teorias aceitas sobre “qual deve ser a aparência de algo”. Uma maior sofisticação em torno da linguagem visual significa que podemos usar a cor de maneiras como não podíamos antes, quebrando as regras e adotando combinações pouco naturais.

     

    1. Sem Filtro – Esta tendência ilustra um movimento em direção à estética de documentário, segundo a qual podemos esperar ver as marcas adotando a linguagem do fotojornalismo para contar histórias mais impactantes. Temos acompanhado a tendência sobre Autenticidade em várias formas desde 2004, mais recentemente na tendência Insurgente de 2015, que defendia a não conformidade quando as pessoas começaram a celebrar o espírito do anti-herói. A tendência Sem Filtro dá um passo à frente como a antítese da propaganda bem acabada, inspiradora.

     

    1. Audácia Feminina – à medida que os debates sobre a política de gêneros se intensificam, estamos observando a emergência de um novo tipo de mulher, que está pronta para redefinir o campo de batalha. Nas imagens, ela é uma lutadora, uma feminista, um fenômeno, mais preocupada com o que pode fazer do que com sua aparência. Nós a vimos emergir de uma confluência de outras tendências que identificamos e acompanhamos, inclusive a tendência Ascensão Feminina de 2013, quando começamos a notar uma forte demanda por imagens de mulheres desbravadoras e garotas que desafiam os estereótipos. Ela também é uma extensão da tendência Genderblend, que documentou uma dissolução ainda maior da binaridade de gêneros na mídia e na sociedade. E ela é uma explosão da tendência Caos Estético de 2016, que se revelou nas imagens de suor, sujeira e vísceras.

     

    1. Vizinhança Global – a sempre crescente circulação de pessoas, mercadorias e informações em todo o mundo está tendo um efeito transformador na sociedade e também nas imagens. Com a globalização e a imigração crescendo constantemente, espere ver um aumento da diversidade e das representações de todo tipo de identidade. Em um mundo cada vez mais conectado socialmente e (virtualmente) sem fronteiras, não podemos mais fazer suposições sobre o que significa ser de um determinado lugar – a identidade cultural está se tornando cada vez mais complexa e flexível. A tendência Vizinhança Global é abraçar este estado de fluxo, pois nossas identidades culturais coletivas terão menos a ver com onde estamos e mais com aquilo em que acreditamos.

     

    1. Ingenuidade – a estética elegante e obviamente cuidada que as primeiras formas de mídia social estimulavam, estão sendo rejeitadas pelos Millennials que, ao contrário, adotam o Instagram, o Snapchat e outras plataformas visuais como seu principal modo de interação. Ingenuidade tem a ver com visuais espontâneos e brincalhões e, algumas vezes, desconfortáveis. Espere ver mais marcas abandonando o que parece muito bem acabado e controlado para adotar uma abordagem natural, divertida e solta. Estas imagens são brutas, reais e fazem as pessoas rir.

     Mergulhe mais fundo nas tendências com o Hub de tendências visuais de 2017 da Getty Images e faça o download gratuito de sua cópia do livro digital Creative In Focus 2017