No início deste ano, a Toyota estabeleceu uma parceria com três fotojornalistas premiados da Getty Images Reportage — Shaul Schwarz, Sara Lewkowicz e Benjamin Lowy — para criar uma narrativa cinematográfica sofisticada sobre um tópico muito importante: segurança ao volante para os adolescentes.

Utilizando personagens reais em situações reais, os três exploraram o ato de dirigir como um rito de passagem por meio da TeenDrive365, uma iniciativa abrangente da Toyota sobre a segurança dos adolescentes. Os resultados são intensos e poderosos; como já era de se esperar, dado os históricos dos fotojornalistas premiados. Lowy cobriu importantes histórias do mundo todo, do terremoto no Haiti à revolução da Líbia; Lewkowicz é conhecido por documentar questões relacionadas a gênero e sexualidade; e Schwarz cobriu histórias internacionais que incluem o conflito entre Israel e Palestina, além de ter dirigido um documentário de longa-metragem, “Narco Cultura”, que explora a guerra às drogas no México.

“Janique Helson e sua equipe da 360i adoraram os projetos que mostramos a eles, e juntos trabalhamos no conceito da criação de uma série de minidocumentários para o seu cliente, a Toyota”, disse o vice-presidente de conteúdo editorial da Getty Images, Aidan Sullivan. “Todos nós concordamos que seríamos capazes de abordar com sucesso esse projeto como faríamos para qualquer outro cliente editorial, usando personagens reais em situações reais. A Toyota e a 360i nos apoiaram de forma incrível e nos permitiram criar com liberdade todos os aspectos desse trabalho sem restrições. A única condição, totalmente compreensível, foi que os adolescentes deveriam estar dirigindo carros da Toyota.”

Nós nos reunimos com Schwarz para saber mais sobre esse projeto com a Toyota e sobre como foi assumir um trabalho diferente. (Entrevista abaixo)

 

Do que você gostou nesse projeto, em comparação com os outros trabalhos realizados por você?

O legal é que o cliente nos permitiu contar uma história da vida real/documentário. É semelhante à forma como eu saio e faço um filme sobre um homem que vai para o espaço por um ano ou sobre a reconstrução das Torres Gêmeas. De alguma forma, isso foi bem parecido.

Acho que o que muitas pessoas estão procurando são as qualificações que os fotógrafos da Reportage têm: o envolvimento com as histórias, que são duras, a capacidade de penetração em mundos fechados e a apresentação de histórias da vida real de forma cativante. O que é único aqui é a tradução disso em um filme para um cliente comercial. … É o empréstimo do estilo, da abordagem e da tenacidade jornalística para o envolvimento em histórias reais e, depois, a transformação delas em um filme com um propósito comercial.

Como foi conhecer as famílias?

O projeto era encontrar famílias de realidades diferentes e ver como essas pessoas lidavam com essa época muito delicada do crescimento de um adolescente [learning to drive]. Todos nós passamos por isso. É um momento único. Por um lado, é empolgante e libertador… mas, por outro lado, preocupa os pais. Acho que apresentamos alguns pais legais que estão tentando não se preocupar. Com a minha idade, no meio entre esses pais e jovens, eu entendo completamente os dois lados. Então queríamos mostrar essas histórias de famílias reais acontecendo nesse momento muito especial da vida em que se desenvolve a habilidade de dirigir. De certo modo, hoje em dia, isso faz parte da transição para a vida adulta.

Você se lembra de como foi ser adolescente e aprender a dirigir?

Minha família era um pouco mais sossegada em relação a eu dirigir um automóvel, já que primeiro eu tive uma scooter (morava em Israel na época). Eles ficaram nervosos no começo, mas aprenderam a confiar em mim. Foi um divisor de águas na minha vida. Você se sente livre, como um adulto. Pode ir a um encontro, pode ver os amigos, cuidar de coisas e fazer tudo, mas isso vem acompanhado de responsabilidades. Você precisa ser cuidadoso. Dito isso, adolescentes são adolescentes e algumas vezes fazem besteiras. É uma linha tênue. Por exemplo, se você beber e dirigir, é um GRANDE problema. É aquela confiança que é construída em uma família quando você começa a dirigir.

Meus pais me alertaram, “Sabemos que você vai cometer erros, todos cometem. Só não seja bobo. Ligue para nós se você tiver bebido e for precisar deixar o carro.”

O que você espera com este projeto?

A Getty Images Reportage tem ótimos fotógrafos. O que esse projeto mostra é que podemos abrir as nossas asas para nos envolver em outros projetos. Pessoalmente, eu me desenvolvi e me tornei produtor de filmes e, assim, foi incrível trazer essa experiência para ajudar a Getty Images a realizar esse tipo de projeto. Vivemos em uma época em que a narrativa visual não precisa ser restrita a fotos. Esse projeto me fez lembrar que há um apetite comercial por ótimos conteúdos e, se você encontrar o cliente certo e a equipe certa, um ótimo trabalho será possível.

 

A Getty Images tem uma equipe principal de 16 fotojornalistas de elite da Reportage e uma lista global de mais de 650 fotógrafos e videográfos de todo o mundo com diferentes especialidades; que variam de fotojornalismo a comerciais de grande produção. Saiba mais.