As tendências visuais que previmos estão aparecendo em todos os lugares – mas estes exemplos podem surpreender você.

Em 2015, nossa equipe de especialistas previu as tendências visuais que tomariam conta de 2016 e as chamaram de: Insurgente, Extensão humana, Existência divina, Caos estético, Silêncio x Barulho e Surrealismo. Juntas elas representam a direção que a cultura visual global está tomando. Individualmente, elas abrangem conceitos que estão dando forma a como vemos e entendemos o mundo de hoje. E elas estão aparecendo entre várias redes sociais desde o começo do ano.

1. Insurgente

Previsão de 2015: “Pessoas que inovam e visuais que rompem as barreiras tradicionais serão amplamente adotadas enquanto as preferências se tornarão mais ousadas.”

Estamos vendo representações de todos os tipos de insurgentes este ano, de papéis sendo reversos inesperadamente até o aumento da representação de rebeldes e dos mais desfavorecidos.

Enquanto o Mini Cooper e Android exploram o reino dos rejeitados, o último anúncio do Secret Deodorant de #Stresstest (que foi notavelmente ao ar na estreia da temporada de The Bachelorette) mostra uma mulher corajosa através de uma proposta não convencional. Isto causou rapidamente um alvoroço entre as redes sociais, mas independentemente das reações, uma coisa é certa: Não é algo que você vê todos os dias.

Com a campanha “Be together. Not the same,” o sistema operacional da Google Android celebra as diferenças e o poder que é formado ao fazermos algo juntos independentemente destas diferenças. Tudo começa com um grupo de bullies no pátio da escola, que faz com que uma pedra rejeitada, uma tesoura e um pedaço de papel se juntem em forma de solidariedade.

Enquanto isso, Mini melhora o status dos insurgentes com o #DefyLabels, lançado com muita expectativa no Superbowl deste ano. O anúncio protagoniza atletas, atores e músicos famosos (que também tem que lidar com rótulos e xingamentos), recitando várias apelações dadas a donos de Mini antes de que Harvey Keitel finalmente nos conte: “Este carro não se importa com o que você diz sobre ele.”

2. Extensão humana

Previsão de 2015: “Nossa noção do que é ser uma pessoa está se expandindo enquanto usufruímos do poder da tecnologia em todas as áreas de nossas vidas. Os parâmetros entre homens e máquinas estão começando a se tornar distorcidos, e como resultado estão se tornando fascinantes.”

Enquanto a tecnologia continua a superar as expectativas da imaginação das pessoas, os visuais que se materializam junto a tecnologia também estão superando expectativas. Inovações inéditas em tecnologia para vestir e um fluxo constante de novas invenções estão transformando a maneira pela qual nós (e os nossos corpos) funcionam.

A National Multiple Sclerosis Society (Sociedade Nacional de Esclerose Múltipla, em tradução livre), lançou durante este último outono destaques sobre a vida e a carreira da lenda do surf Steve Bettis, que foi diagnosticado com EM aos 57 anos e vive agora em uma cadeira de rodas. Graças a novas tecnologias, ele consegue experienciar virtualmente a emoção de pegar uma onda enquanto está sentado em sua própria casa. Os resultados visuais e auditivos são impressionantes: Vistas em 360°, reflexo do sol entre as ondas e curtos bate papos com outros surfistas sentados em suas pranchas no mar.

Em outra inovação, a Puma apresentou a BeatBot, uma máquina de corrida, construída por engenheiros do Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT) para empoderar e encorajar atletas de corrida profissionais para superar seus limites e melhorar seus desempenhos. E isto só arranha a superfície sobre o que o podemos esperar do futuro quando se trata de homens se encontrando com máquinas.

Falando nisso, a Manus x Machina: Fashion in an Age of Technology (Moda na era da tecnologia, em tradução livre), acontecerá este ano na exibição do famoso Costume Institute do Metropolitan Museum of Art . A exibição explora as maneiras nas quais a tecnologia está transformando a moda, um tema que muitas das celebridades convidadas para o Met Gala fazem experimentos para suas escolhas de roupas. O resultado? Algo que vai além da compreensão humana, com certeza.

Dimitrios Kambouris/Getty Images
Taylor Hill/Getty Images
Dimitrios Kambouris/Getty Images

3. Existência divina

Previsão de 2015: “Enquanto as marcas focam em valores, reflexões e revelações se tornarão o centro das atenções, e consumidores mudam seu foco para um tipo de consumo mais significativo.”

Uma formação de aumento de consciência e interesse em assuntos como saúde, mudanças climáticas, consumismo consciente e política nacional e internacional, nos faz querer parar, mudar de foco e lutar por algo melhor. As pessoas estão valorizando mais qualidade sobre a quantidade e experiências sobre posses – e cada vez mais, memórias sobre bens materiais.

A Tourisme Quebec pinta uma imagem particurlamente comovente em um vídeo de três minutos e meio chamado “Blind Love” (O Amor é Cego, em tradução livre). O vídeo segue o músico americano Danny Kean, que nasceu cego, enquanto ele descobre as regiões do Canadá através de uma série de paisagens e atividades incríveis que acontecem em lindos cenários naturais como florestas, rios, campos e praias, cenas de uma cidade vibrante, a vida em uma pequena cidade e muito mais.

As experiências são tão extraordinárias, tão envolventes e sensoriais, que mesmo sem o dom da visão, Kean consegue vivê-las ao máximo. E como ele disse: “Existe um motivo pelo qual as pessoas fecham os olhos quando beijam, quando choram e quando rezam: isto é porque as coisas mais essenciais da vida devem ser sentidas em nossos corações.”

4. Caos estético

Previsão de 2015: “As marcas irão se aproveitar do poder do feio, do bagunçado, do suado e de outras estéticas viscerais. É uma rebelião contra a organização do dia a dia que se revela no físico e na alma da natureza humana.”

Fazer um pouco de bagunça está provando ser uma ótima maneira de ser notado este ano, provavelmente porque qualquer estado de desordem está vinculado a ser diferente de qualquer outra coisa. Seja em conceitos ou estética, marcas, criativos e instituições culturais, todos estão usando caos para se destacarem.

Museum of Fine Arts Boston

Veja a Megacities Asia, por exemplo, em exibição no momento no Museum of Fine Arts Boston. A exibição está espalhada entre alguns andares do museu e galerias e explora a realidade de viver em metrópoles que habitam mais de 10 milhões de pessoas. As instalações refletem o pandemônio deste lugares, suas repetições e a variedade de objetos aparentemente frenéticos criando uma impressão intensa.

Endless Possibilities - Getty Images / AlmapBBDO
Endless Possibilities - Getty Images / AlmapBBDO

A própria campanha de outono da Getty Images toca nesta tendência com um exemplo inspirador de “Infinitas possibilidades”, que os nossos acervos de imagens são capazes de produzir. Em um esforço que levou quatro meses para ser realizado, a equipe da AlmapBBDO conseguiu montar quatro retratos que podem ser identificados facilmente usando apenas fotografias de nosso banco criativo. O resultado é um efeito misturado que mostra uma imagem inesquecível.

5. Silêncio x Barulho

Previsão de 2015: “Esta tendência dá espaço para consumidores, com suas emoções e espíritos, respirarem e se reconectarem em meio à confusão do mercado.”

Gráficos minimalistas estão em abundância em campanhas recentes de publicidade tanto quanto em esforços criativos e editoriais. O trio britânico de música eletrônica Years & Years lançou seu videoclipe para “Desire ft. Tove Lo” este verão. Ganhando 18.5 milhões de visualizações no YouTube desde que foi lançado há três meses, o vídeo pinta uma linda imagem em linhas retas e cores suaves, marcado com corpos em movimentos e tons vibrantes. Semelhantemente, em abril, a capa da revista Harper’s Bazaar apresentando a Jennifer Aniston em uma série de retratos surpreendentes e dominante que brincam com contraste, espaço negativo e silhuetas simples.

Harper's Bazaar April 2016

E também tem a marca sueca de pagamento online Klarna, que lançou uma campanha chamada Smoooth em março, enfatizando como seus serviços são eficientes e sem problemas. De acordo com o Perlorian Brothers, que dirigiu a campanha e são conhecidos por ter uma inclinação mais excêntrica, “Usamos uma abordagem criativa para manter a marca de forma minimalista, gráfica, intrigante e eficiente. Queríamos que ela se sentisse estranha e artística.” Usando cores suaves, ambientes com decorações simples e pontos de foco inesperados para completar esta sensação.

6. Surrealismo

Previsão de 2015: “Enquanto procuramos representar visualmente as vidas multifacetadas que experienciamos na era digital, as oportunidades para criatividade se tornam ilimitadas. Essa tendência tem como foco imagens gráficas surreais e brinca com ideias de infinidade, dualidade e multiplicidade.”

Stella McCartney Summer 2016

Esta tendência de final de sonho é outra que tem se repetido com frequência ultimamente. Uma ferramenta atmosférica adequada para uso em anúncios e editoriais, o Surrealismo oferece uma pose potente para a campanha verão 2016 da Stella McCartney. Os anúncios mostram as supermodelos Natalia Vodianova e Mariaclara Boscono entrelaçadas e duplicadas, deixando com que o público tente adivinhar onde uma delas termina e a outra começa enquanto elas flutuam sob um plano de fundo de grama.

Stella McCartney Summer 2016

A estética serve como uma força poderosa em todo o mundo também. No começo deste ano, a marca japonesa de sopa de miso Marukome lançou o “Kawaii”, uma obra de arte de um anúncio de publicidade que explora a profundidade da identidade cultural japonesa através de imagens psicodélicas, arte popular, edições inteligentes e uma trilha sonora original. Resumindo, as coisas que acontecem somente nos sonhos.

Aprenda mais sobre nossas tendências visuais de 2016. Tenha nosso relatório completo de tendências ou assista uma reprise de nosso webinar.